quinta-feira, 17 de agosto de 2017

King Crimson - Islands (1971)


Islands é um disco que requer paciência e talvez por isso alguns fãs do King Crimson torcem um pouco o nariz pra ele. Particularmente eu não vi dificuldade alguma em me deixar levar pela música encontrada aqui. Existe um desenvolvimento lento e suave das peças. Apesar de que quem acompanha a banda sabe que eles costumam ter um lado suave, aqui é diferente, pois as coisas giram inteiramente em torno dessas passagens musicais tendo raros momentos mais ásperos e pesados. Não é bem um disco pra iniciar na banda, mas se você é familiarizado facilmente pode deixar cai-lo em suas graças.

“Formentera Lady” abre o disco com um bom contrabaixo levando o ouvinte de imediato a uma atmosfera clássica. Logo se junta a uma boa flauta e um piano que é completado com as primeiras frases vocais. Após os três primeiros minutos a música começa a decolar com os brilhantes tambores jazzísticos começando um pouco timidamente, mas melhorando em todo o álbum. Tem um momento de improvisação de piano que é belíssimo. Mais a frente há algumas peças de guitarras acústicas agradáveis, com Fripp mostrando seu habitual talento. O final da música mostra algumas partes brilhantes de improvisação.

“Sailor's Tale” começa com tambores funky e um baixo onde logo se juntam a guitarra e saxofone. A parte do solo de guitarra aqui se encaixa muito bem na música, levando a um clímax que é muito bom, com alguns instrumentos que tocam uma nota um tanto maior que se encaixam perfeitamente no motivo rítmico. O solo de saxofone é incrível. Após isso a música começa em uma parte maravilhosa e descontraída com Fripp “brincando na guitarra”. Sua diferença melódica e rítmica do baixo e da bateria aqui é brilhante. De repente essa parte ganha velocidade, seguindo agora com um apoio orquestral e improvisação da bateria.

“The Letters” começa com uma voz e trabalho de guitarra acústica novamente brilhante. Essa parte é bastante emocional com a guitarra escolhendo melodias continuamente alternadas. De repente, acontece uma explosão musical bem ao estilo King Crimson de ser e logo depois retorna a uma parte mais suave com todos os membros da banda mostrando que eles fazem música progressiva como deve ser, complexa, virtuosa e sentimental.

“The Ladies of the Road” é minha música favorita do disco, embora seja um pouco repetitiva. O baixo e a bateria são muito divertidos nesta música, com o excelente saxofone que toca no começo. O vocal faz um bom trabalho, mostrando algumas emoções trabalhadas em sua voz. O coro é maravilhosamente suave, com o alto som da guitarra e as segundas vozes. No final da música tem um solo de sax maravilhoso, mostrando mais um belo trabalho de Mel Collins.

“Prelude: Song Of The Gulls” é uma bela parte clássica, preparando o ouvinte para a faixa homônima ao disco e que fecha o trabalho. É uma faixa simples e que combina perfeitamente com o resto do disco, belas melodias que se assemelham com a introdução de Islands.

“Islands” apresenta um equilíbrio perfeito de letra e música, uma paternidade de Fripp e Sinfield. Mostra uma belíssima melodia acompanhada por piano e flauta. Tem um momento de saxofone solitário, o vazio de tudo se soma a atmosfera triste. A parte vocal/piano se repete, mas ao invés de terem junto a ela uma flauta, um violino a substitui. Uma faixa que se desenvolve muito bem e dá uma sensação onírica ao ouvinte, um poder imaginativo e a capacidade de despertar inúmeras sensações diferentes.

Por mais que o King Crimson dos anos 70 seja uma banda impressionante, nem sempre tudo produzido deve ser encarado como algo que deva existir amor à primeira audição. Islands é justamente esse tipo de registro, muitas vezes não compreendido logo de cara e largado de mão. Mas se lhe der mais do que uma chance a possibilidade que ele sempre cresça a cada audição é muito grande.

- Tiago Meneses - 

Track Listing

1.Formentera Lady - 10:14 
2.Sailor's Tale - 7:21
3.The Letters - 4:26 
4.Ladies Of The Road - 5:28
5.Prelude: Song Of The Gulls - 4:14
6.Islands - 11:51

Se você deseja baixar esse disco, envie um e-mail para esquinaprogressiva@gmail.com

If you want to download this disc, send an email to esquinaprogressiva@gmail.com

2 comentários:

  1. In this fashion my colleague Wesley Virgin's adventure begins with this SHOCKING and controversial video.

    Wesley was in the army-and shortly after leaving-he revealed hidden, "mind control" secrets that the CIA and others used to get whatever they want.

    THESE are the EXACT same secrets lots of celebrities (especially those who "became famous out of nothing") and the greatest business people used to become rich and successful.

    You've heard that you use only 10% of your brain.

    That's really because the majority of your brain's power is UNCONSCIOUS.

    Maybe this conversation has even occurred INSIDE OF YOUR very own head... as it did in my good friend Wesley Virgin's head around seven years ago, while driving an unregistered, beat-up bucket of a vehicle with a suspended driver's license and with $3 on his banking card.

    "I'm so frustrated with living paycheck to paycheck! Why can't I become successful?"

    You've been a part of those those conversations, ain't it right?

    Your very own success story is waiting to be written. All you need is to believe in YOURSELF.

    CLICK HERE TO LEARN WESLEY'S SECRETS

    ResponderExcluir